Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

  • Anos de atividade

    1990 – até o momento (28 anos)

  • Local de fundação

    Windsor, Essex County, Ontario, Canadá

  • Membros

O trio de , de Windsor, Ontario, Canadá, formado por três amigos de infância, se juntou oficialmente em 1990, após uma maratona de ensaios de improvisação, no Cherry Beach Rehearsal Studios. Jeff Martin(Jeffrey Scott Martin) é o vocalista e guitarrista; Stuart Chatwood é o baixista e tecladista; Jeff Burrows(Jeffrey John Burrows) tem o domínio da percussão, entretando, todos eles são multi-instrumentistas com prática em:


  • Martin: sitar, sarod, oud, banjo, bandolim, dumbek, hurdy-gurdy, esraj, santoor;

  • Chatwood: baixo eletrônico, guitarrra, teclados diversos, harmonium, mandolin, tambura, violoncelo, guitarra havaiana, "bass pedals";

  • Burrows: bateria, djembe, goblet drums, tabla;


Veja este vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=jywD3fa66Ls

Desde o início, percorreram o caminho árduo de se impor no mercado como uma banda caracterizada pelo uso de instrumentos exóticos e pela poesia carregada de citações esotéricas, reflexões amargas e memórias trágicas (principalmente da vida do vocalista e principal letrista). Com um álbum epônimo independente em baixo do braço, gravado em "low-fi", o grupo foi conquistando fans, despertando a curiosidade da imprensa e de produtores, enquanto mostrava do que era capaz em concertos que impressionavam pela carga de energia e intensidade de suas composições.

Sucesso
Em 1993, o The Tea Party lançou seu primeiro album comercial pela gravadora EMI. O Splendor Solis levou o grupo para uma longa excursão pela Europa e Austrália. Virou cult na Alemanha, sendo aclamado o album número 1 no país, pelo Critics Choice. No Canada, chegou a disco de platina e teve seu clip "The River" escolhido como o melhor de 1994, além de "Best Canadian Group" pelo People's Choice/Much Music.

A força da banda está, não só nas suas composições límpidas e profundas, mas também na variedade de instrumentos musicais que são adicionados aos tradicionais. Jeff Martin entra com uma incrivel coleção de instrumentos de corda do norte da África e leste da Ásia. Jeff Burrows também introduziu instrumentos de percussão inéditos na História do Rock, como o djembe e o dumbek.

Dois meses foram gastos num estudio, em Los Angeles, para que o disco The Edges of Twilight chegasse às prateleiras de centenas de lojas de música, na América do Norte e Europa, no início de 1995. Produzido por Ed Stasium (dos Ramones e Living Color) e Jeff Martin, trinta e um diferentes instrumentos musicais foram usados nas gravações. Também, a lenda viva da musica folk britânica, Roy Harper, emprestou sua voz para uma leitura complementar de "Correspondences", no final do álbum.

O vigor poético e musical de faixas como "Fire in the Head" ou "Sister Awake" é impressionante. É notável a presença constante de uma figura mística feminina, que apresenta-se como guia ou protetora. Os video clips de "The River" e "Fire in the Head", são jornadas, das quais não se consegue desgrudar os ouvidos, como um banquete perceptivo.

Mas nem tudo com The Tea Party está relacionado a poderes e mitos ancestrais. O grupo fez algumas apresentações ao vivo, transmitidas pela Internet. Para eles, esse meio de comunicação é uma excelente forma de diminuir as barreiras entre a banda e seus fãs. "A Internet é imediata, não fortemente supervisionada, facil de usar e um meio rápido de fazer sua opinião chegar até outros", explica Jeff Martin.

Separação
O álbum Seven Circles, o último álbum da banda antes de sua separação, foi lançado em 2004. Neste, juntamente com The Interzone Mantras (2001), a banda traz seu antigo som, porém mais maduro. Em outubro de 2005, a banda anunciou que estava se separando devido à divergências entre os membros e por Martin ter decidido fazer carreira solo, sem nenhum aviso prévio. No ano seguinte, Burrows reuniu-se com Geddy Lee e Alex Lifeson (integrantes do Rush) para tocar na estação de rádio The Rock, em Windsor. Em 2008, juntou-se a Edwin, Mike Turner e Amir Epstein e formaram a banda Crash Karma, que gravaram seu primeiro álbum, em 2009. Martin mudou-se para Irlanda, onde gravou seu primeiro álbum solo, em 2006. Mais tarde, lançou mais dois álbuns: "Live in Brisbane 2006" e "Live in Dublin". Em 2008 anunciou a formação de sua nova banda, The Armada.

Retorno
Em doze de abril, de 2011, uma página oficial do Facebook anunciou que a banda haveria de se reunir temporariamente para agendar algumas apresentações. Mas, em agosto do mesmo ano, durante uma apresentação, a banda divulgou que estava junta novamente e que seria permanente. Martin disse: "Nós somos o The Tea Party e estamos aqui para ficar. Nunca mais partiremos". Quatro meses depois, eles anunciaram que começariam a trabalhar em um novo álbum, em 2012, e que definitivamente não haveria mais separação.

Editar esta wiki

API Calls