Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

  • Anos de atividade

    1989 – até o momento (33 anos)

  • Local de fundação

    Chapel Hill, Orange County, North Carolina, Estados Unidos

  • Membros

    • Chuck Garrison (1989 – 1991)
    • Jack McCook (1989 – 1990)
    • Jim Wilbur (1990 – até o momento)
    • Jon Wurster (1991 – até o momento)
    • Laura Ballance (1989 – até o momento)
    • Mac McCaughan (1989 – até o momento)

O Superchunk é uma das raras bandas que duram mais de uma década sem deixar seu som envelhecer ou perder o sentido, sempre amadurecendo. Os discos mais recentes trazem inovações sonoras, experiências bem sucedidas com ritmos e arranjos sem, no entanto, perder os traços que dão personalidade à obra. Seu som energético e prolífico, com nada menos que 11 discos lançados (incluindo coletâneas de singles e b-sides) influenciou - direta ou indiretamente - uma grande parcela das bandas de powerpop dos anos 90 e 00, sem ao menos chegar ao mainstream.

Quando surgiu em 1989 em Chapel Hill, North Carolina, a banda era formada por Mac McCaughan (guitarra e vocais), Laura Ballance (baixo), Chuck Garrison (bateria) e Jack McCook (guitarra). No início, McCaughan e Ballance eram namorados. Criaram o selo Merge Records, cujo primeiro lançamento foi uma compilação em cassete da banda Bricks, de North Carolina. Esta era uma das muitas bandas (como Wax, Slushpuppies, etc) a que McCaughan pertenceu antes do Superchunk. No mesmo ano, lançam o single "What Do I"/"Train From Kansas City", ainda se autodenominando "Chunk". Foram então obrigados a rebatizar a banda, já que existia uma homônima em Nova Iorque. Tornaram-se então Superchunk, lançando em 1990 o primeiro disco, auto-intitulado, pela Matador. Dele saiu o single que os estabeleceu no meio underground: "Slack Motherfucker".

McCook saiu de cena após o primeiro disco, alegando fadiga causada pela turnê e seguindo carreira como árbitro de softball. Foi substituido pelo guitarrista James Wilbur, de Connecticut.

Em 1991, foi gravado em Chicago "No Pocky for Kitty", com produção do até então desconhecido Steve Albini (Pixies, Nirvana, Guided by Voices). A divulgação do álbum contou com uma turnê ao lado de outro ícone alternativo, o Mudhoney. Chuck se retirou da banda pouco antes do lançamento e foi substituido por Jon Wurster - um limpador de janelas - formando assim a composição atual da banda. "Tossing Seeds", uma coletânea de singles, foi lançado em 1992 pela Merge, trazendo a cultuada canção "Cool". Em 1993, "On the Mouth" foi o último disco da banda a sair pela Matador Records, devido à decisão da banda em seguir pela sua própria gravadora, a Merge.

O primeiro lançamento deste retorno ao velho selo próprio é "Foolish", de 1994, produzido por Brian Paulson. O disco registra um ponto no qual a banda evoluiu drasticamente, renovando seu estilo, o que resultou em um sucesso de crítica. Em 1995 sai uma segunda coletânea de singles denominada "Incidental Music", repleta de raridades (imports, lados b, músicas de compilações) com um inusitado cover de "100,000 Fireflies", do Magnetic Fields.

No mesmo ano, "Here's where the Strings come in" foi gravado no Fort Apache Studios, em Boston, gerando uma turnê extensa que passou inclusive pelo Brasil e um hit, com o single "Hyper Enough".

Após um período de hiato e outra turnê, o grupo lançou um EP chamado "The Laughter Guns". Logo iniciaram a escrever seu próximo LP, "Indoor Living", que seria lançado em 1997. Gravado nos estudios Echo Park, em Bloomington (Indiana) o Superchunk produziu o álbum junto com John Plymale. O CD expandiu a sonoridade adicionando instrumentos como piano, vibrafones e mais. O disco foi o mais ousado e, ao mesmo tempo, o mais acessível da banda até hoje.

Em 1999, durante o aniversário de 10 anos da banda, foi lançado "Come Pick Me Up". Gravado no Electrical Audio Studios, a produção ficou por conta do pioneiro do pop abstrato Jim O'Rourke (atual membro do Sonic Youth, ex-Gastr Del Sol, produtor de Stereolab, Sam Prekop, Brainiac, entre outros). Seguindo as inovações do último álbum, "Come Pick Me Up" traz arranjos de metais e cordas em algumas faixas, criados com a grande experiência de O'Rourke. É considerado por muitos o álbum mais maduro do Superchunk.

O álbum mais recente, "Here's to Shutting Up", foi o segundo da banda produzido por Brian Paulson. O trabalho foi iniciado no ano de 1999 em Atlanta, Georgia, no estúdio "Zero Return". Os toques finais foram dados no estúdio de Paulson, o "Uwharrie Ridge Studios" em Chatham County, North Carolina - ao lado da cidade natal do grupo, Chapel Hill.

Em 2003 foi lançada uma terceira coletânea, "Cup of Sand", desta vez contendo dois CDs de singles e demos.

O selo Merge cresceu consideravelmente desde sua criação, tornando-se lar de bandas independentes como Lambchop, Polvo e Karl Hendricks Trio. Até o Trail of Dead chegou a lançar seu disco "Madonna" pela Merge Records. Além do Superchunk, Mac McCaughan possui seu projeto paralelo, o Portastatic, cujo LP "I hope Your Heart is not Brittle" foi o primeiro a ser lançado nesta nova fase da Merge.

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Atualize agora

Artistas parecidos

Atrações em destaque

API Calls