Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

  • Data de nascimento

    18 Março 1912

  • Data de falecimento

    14 Abril 1990 (idade 78)

Guitarrista Espanhol considerado um mestre de guitarra e impulsionador da internacionalização do flamenco. (1912, Pamplona, Espanha - 14 de Abril 1990, Nova York, EUA)

Baptizado Agustín Castellón Campos, na altura o futuro músico nasceu em Pamplona na rua Mañueta tendo passado a sua infância ali, na Jarauta (no bairro antigo da capital Navarra) e próximo da localidade de Villava/Atarrabia.

Começou a tocar guitarra com quatro anos de idade quando o seu tio lhe ensinou dois acordes e durante essa noite ficou sem dormir a pratica-los. Por esta razão os seus pais compraram-lhe a uma guitarra por 17 pesetas e actuou pela primeira vez dois anos mais tarde.

Aos 10 anos muda-se para Madrid e é descoberto por Manuel Bonet causando uma grande sensação na capital pois segundo o seu testemunho "enquanto tocava um fandanguillo levantava uma mão continuando a tocar com a outra e isto foi uma bomba".

O seu estilo inicial estava influenciados pelo guitarrista Ramón Montoya. A sua extensa colaboração com importantes cantaores (interpretes de música flamenca) da época ajudo-o a desenvolver um estilo único.

Nascido numa família muito humilde o seu nome artístico provem segundo ele da seguinte história "De chiquito, aquí, en Madrid, mi mamá mandaba a la criada a la compra, y cuando venía yo metía la mano en la cesta y sacaba las habas y me las comía con cáscara y todo. Mi mamá me miraba: Pero, hijo mío, estás na' más que con las habas. Te voy a poner habas, y habas, habas, habicas"

Deixou Espanha em 1936 durante a guerra civil espanhola exilando-se na América do Sul com a sua bailaora Carmen Amaya. Ambos realizaram várias digressões juntos e mais tarde estabeleceu-se em Nova York. Não regressou a Espanha até 1967 e sempre que o fez foi por breves períodos.

Foi no "Carnegie Hall" de Nova York que lhe foi realizada a última homenagem a 10 de Junho de 1989 falecendo nessa mesma cidade no ano seguinte tendo 88 anos.

Sabicas, a quem lhe foram atribuídos vários discos de ouro, teve uma grande importância no introdução do flamenco ao público fora de Espanha.

Mais tarde diria numa entrevista:

"A guitarra flamenca só era tocada em Espanha, e no resto do mundo muito raramente. Então desde que saíram os meus discos, nos último trinta anos, em qualquer parte do mundo existem aficionados da guitarra flamenca."

Sabicas devido às suas múltiplas influencias no seu estilo de execução da guitarra flamenca não se reconhecia como seguidor de uma escola de guitarra ou de uma influencia em particular.

Como executante Sabicas marcou um ponto de inflexão na técnica de execução da guitarra flamenca ao introduzir novos conceitos, destacando-se a sua velocidade e limpeza de execução e a sua técnica da mão direita.

Editar esta wiki

Não quer ver os anúncios? Assine agora

API Calls