Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

Formado em Los Angeles, em 1998, o Rilo Kiley é Jenny Lewis e mais Blake Sennet, Pierre de Reeder e Jason Boesel. Depois de três anos tocando em buracos e toda sorte de lugares e biroscas, o RK conseguiu lançar seu primeiro disco, chamado Take Offs And Landings, através de um contrato com o selo independente Barsuk Records, o mesmo de Nada Surf e Death Cab For Cutie.
Logo ficou evidente o carisma da vocalista ruivinha que dava o mimo pop para as guitarrices indie que Sennet capitaneava. Logo veio a oportunidade de excursionar pelos USA e a banda abriu uma tour conjunta de Breeders, Pedro The Lion e Superchunk, alcançando um número ainda impensável de fãs. Nessa esteira veio o segundo disco, The Execution Of All Things, que chamou a atenção dos executivos da Warner. Toparam distribuir o terceiro disco da banda, More Adventurous.
Aqui podemos dizer que a banda passa a ser mais de Lewis do que de Sennet. Se o guitarrista e compositor até então imprimia sua marca nas músicas, a moça cantante passou a sua frente e, do alto de seu carisma e beleza ruivo-indie, passou a dar as cartas. A produção de More Adventurous parece feita sob medida para ela brilhar. A pegada mais pop do disco, mas ainda com moral para figurar como uma nova banda, deu chance ao Rilo Kiley de figurar em trilhas sonoras de filmes e aparecer na televisão.
Não se engane com a doçura de Lewis e seus charmes rendem mais quando soltam versos do tipo "Any asshole can open up a museum/Put all the things he loves on display", que ela canta logo na faixa de abertura, "It's A Hit". No entanto, o grande momento de More Adventurous é "I Never", que tem todos os ingredientes para inscrever-se na prova de clássicos pequenos do pop-rock. Vocais lindos e raivosinhos. Instrumental competente que segura uma ponte entre o soul branco dos anos 60 e o indie rock de porão dos anos 90 e até um falso final com direito a solo cortante de guitarra no verdadeiro fim. O novíssimo disco solo de Jenny Lewis, Rabbit Fur Coat, lança uma sombra de dúvidas sobre o futuro do Rilo Kiley. Enquanto nada novo da banda é lançado, ouçamos o disco solo da moça, resenhado na seção Tudo e que é bastante bom.

Não podemos esquecer também do último disco lançado pela banda (2007): Under the Blacklight. Esse álbum trouxe um novo Rilo Kiley às estantes com um som puxado para o pop, aproximando-se vagamente do eletro-rock (ou eletro-indie-rock) de bandas como Metric, porém mantendo as guitarras de Sennet e a bateria ainda "moderada e belamente indie". Algumas das músicas dos discos são, de fato, obras-primas de música pop, outras têm pontos folk/country que já estavam presentes no CD More Adventurous, enquanto algumas canções vagam pelo universo indie. Isso, porém, sem jamais perder a qualidade Rilo Kiley que cada vez mais parece não se enquadrar em rótulo algum para ir parar nas estantes sob os selos "O que é bastante bom" e "tudo".

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

Links externos

API Calls