Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Wiki

The Division Bell é o décimo quarto álbum de estúdio da banda britânica de rock Pink Floyd. O disco foi lançado em 28 de março de 1994 no Reino Unido pela EMI Records e em 5 de abril nos Estados Unidos pela Columbia Records. É o segundo sem o baixista Roger Waters.

Suas canções foram escritas principalmente pelo guitarrista David Gilmour e pelo tecladista Richard Wright e tem como principal tema a falta de comunicação, junto com outras questões como o isolamento, conflitos e autodefesa. Foi gravado em vários estúdios entre 1993 e 1994, incluindo o Britannia Row Studios e o barco-estúdio de David Gilmour, Astoria. A equipe de produção escolheu o produtor Bob Ezrin, o engenheiro Andy Jackson e o saxofonista Dick Parry para trabalharem na obra. A esposa de Gilmour, Polly Samson, co-escreveu muitas das letras do álbum e Wright contribui como vocalista principal em um trabalho do Pink Floyd pela primeira vez desde The Dark Side of the Moon, de 1973.

O disco foi número um no Reino Unido e nos EUA, mas recebeu críticas negativas. Seu lançamento foi seguido imediatamente por uma turnê nos EUA e na Europa. The Division Bell foi certificado de ouro, platina e dupla platina nos EUA em Junho de 1994, e platina tripla em janeiro de 1999. A canção "Marooned" ganhou um Grammy Award na categoria de "Melhor Performance de Rock Instrumental" em 1995.

Grande parte do álbum lida com questões de comunicação e de que muitos dos problemas da vida podem ser resolvidos através do diálogo. O tema geral se reflete no título do álbum, The Division Bell, que foi inspirado nos sinos da divisão do Parlamento do Reino Unido, tocado quando ocorre uma divisão de opiniões entre os parlamentares, o que indica o momento de haver uma votação. O próprio álbum e algumas canções são interpretadas como referências ao estranhamento entre o ex-membro Roger Waters e os outros integrantes da banda. Entretanto Gilmour negou que o álbum é uma alegoria sobre a separação, dizendo: "Eu não acho que ele é. Há um par de menções que deram a entender que poderia ou não ter algo a ver com ele. Mas tudo que vi das pessoas resulta que o que elas pensam trata-se de algo extremamente impreciso. Eu gosto disso. Estou muito feliz por as pessoas interpretarem-o da maneira que quiserem. Mas talvez um pouco de cautela deve ser tomada…". Segundo Polly Samson, coautora de várias canções do álbum, "Poles Apart" tem o seu primeiro verso inspirado em Syd Barrett, enquanto o segundo faz referências a Waters.

Produzido apenas alguns anos após a queda do bloco do Leste, a canção "A Great Day for Freedom" justapõe a euforia geral, como a queda do Muro de Berlim, com a limpeza étnica e o genocídio que se seguiu na Iugoslávia. Em "Keep Talking" foram utilizadas amostras de voz de Stephen Hawking. Gilmour ouviu pela primeira vez as palavras do professor em uma propaganda de televisão, e ficou tão comovido com Hawking que entrou em contato com a empresa que fez o anúncio para obter permissão para usá-la nas gravações do álbum. Enfatizando o tema geral da má comunicação, no fim do álbum pode ouvir-se o enteado de Gilmour, Charlie desligando o telefonema durante uma conversa com um empresário dos Floyd, Steve O'Rourke, que tinha pedido para aparecer em um álbum da banda.

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

API Calls