Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Wiki

Bitch I'm Madonna é uma canção da artista musical estadunidense Madonna, contida em seu décimo terceiro álbum de estúdio Rebel Heart (2015). Conta com a participação da rapper trindiana Nicki Minaj, e foi composta por ambas juntamente com Ariel Rechtshaid, Toby Gad, Maureen McDonald, Diplo e Sophie, sendo produzida por Madonna e os dois últimos. A obra foi desenvolvida após Diplo ouvir a canção Pretty Boy Farmer de Lil B, a qual apresentava linhas referenciando a cantora. Ele mostrou sua ideia para a musicista e sugeriu que ela selecionasse Minaj, com quem havia trabalhado em seu disco anterior MDNA (2012). Posteriormente, os produtores elaboraram a composição da obra quando Diplo apresentou melodias de pizzicato e drop para Madonna e ela aprovou-as; o também DJ acrescentou sons de violão devido ao fato de a estadunidense começar a elaborar músicas tocando o instrumento.

A obra foi lançada como o terceiro single do disco em 15 de junho de 2015 através das gravadoras Boy Toy, Live Nation e Interscope, sendo editada em um extended play (EP) digital formado por dez remixes comercializado na loja virtual iTunes Store. Musicalmente, "Bitch I'm Madonna" é uma canção que deriva dos gêneros EDM e vaporwave, fundindo elementos da canção "Turn Down for What" de DJ Snake e Lil Jon, bem como do estilo dubstep em sua composição, e inicia-se com o som de violão semelhante ao usado em "Wake Me Up" do DJ Avicii. A cantora interpreta-a com uma voz em tom nasal — reminiscente a raps de Miley Cyrus que apresentam Auto-Tune —, falando de divertir-se continuamente por ser "Madonna". Madonna defendeu o uso da palavra "bitch", explicando que seu significado não é necessariamente vulgar dependendo do contexto no qual ela é utilizada.

"Bitch I'm Madona" recebeu análises geralmente mistas de críticos musicais; alguns deles a descreveram como "energética" e elogiaram a participação de Minaj e sua composição incomum, enquanto outras a criticaram por ser algo "desesperado para chocar". Comercialmente, obteve um resultado moderado, alcançando as trinta melhores posições nas tabelas da Finlândia, da Hungria e da Suécia e registrando entrada nas tabelas musicais de outros cinco países, incluindo os Estados Unidos. Neste último, tornou-se a primeira entrada de Madonna na tabela Billboard Hot 100 desde "Give Me All Your Luvin'" (2012), alcançando a 84ª posição; com isso, ela e Minaj se tornaram a quarta e terceira mulher, respectivamente, a registrarem o maior número de entradas na parada. Além disso, converteu-se na 45ª obra da artista a alcançar o topo da Hot Dance Club Songs, aumentando seu recorde de cantora com mais canções a ficarem na primeira posição do gráfico.

O vídeo musical correspondente foi dirigido pelo sueco Jonas Åkerlund e apresenta participações especiais de Minaj, Diplo, Rita Ora, Chris Rock, Miley Cyrus, Beyoncé, Katy Perry e Kanye West. As cenas se passam nos últimos andares do Standard Hotel em Nova Iorque, onde Madonna e seus amigos fazem uma festa e a terminam na cobertura do edifício. Além de ter enfrentado problemas técnicos durante seu lançamento exclusivo no serviço de streaming Tidal, o projeto foi recebido com análises mistas, pois embora tenham elogiado sua natureza de loucura, profissionais criticaram a falta dos convidados previamente anunciados no local de filmagens. Para a divulgação de "Bitch I'm Madonna", a cantora apresentou-a em uma performance com temática festeira no programa The Tonight Show Starring Jimmy Fallon e a incluiu no repertório de sua turnê Rebel Heart Tour (2015-16).

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

API Calls