Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

O Hurtmold nasceu em 1998, em São Paulo, após o fim do grupo Pudding Lane. Os recém sem-banda Guilherme Granado, Fernando Cappi e Marcos Gerez começaram então a tocar com os amigos Maurício Takara e Mário Cappi, inicialmente por diversão. Pouco tempo depois a banda já estava estabelecida e possuía duas fitas cassetes de boa circulação pelos círculos alternativos tupiniquins: "Everyday Recording" (demo de 1998) e "3am: A Fonte Secou…", lançada pela Spicy Gravações Elétricas em 1999.

Em dezembro de 2000, o grupo lançou pelo selo mineiro Submarine Records o debut Et Cetera. Trata-se de um disco com influências primárias de Sonic Youth e Fugazi, misturadas com referências ao então recente , mas sem posicionar a banda definitivamente em nenhum ramo, nem sequer a língua na qual seriam cantadas as músicas (Guilherme canta alternando entre o português e o inglês).

Essas indefinições começam a ser aniquiladas com o lançamento de Cozido, em maio de 2002, novamente pela Submarine Records. São poucas as canções com vocais (todas em português), enquanto sobram viagens instrumentais que tendem mais para a meticulosidade de um Tortoise do que para a emoção explícita de um Mogwai. Pode-se dizer que nasceu neste segundo disco a identidade do Hurtmold, que daqui por diante não lançaria nada que não fosse resultado de evolução e esforço em não se adequar unicamente a um estilo facilmente identificável.

Neste ponto a banda já possuía uma boa base de fãs (considerando-se que estamos falando de Brasil) e era reconhecida principalmente por seus shows, onde a precisão e o talento de seus membros eram ainda mais evidentes. Ainda em 2002 a banda voltou ao estúdio paulista El Rocha (onde havia gravado seus dois registros anteriores) para preparar as músicas de seu próximo trabalho.

Em julho de 2003 foi lançado o split com o The Eternals, grupo de Chicago que faz parte do cast da DeSoto Records. Neste split, onde cada grupo apresenta cinco músicas, o Hurtmold demonstra mais maturidade e objetividade. A banda agrega mais instrumentos em sua música sem soar pedante ou sem direcionamento, gerando um definitivo patamar de igualdade e importância entre seus membros e chutando para longe quaisquer resquícios de convencionalidade que poderiam restar da época de seus cassetes influenciados por Hüsker Dü, e mesmo de seu primeiro álbum, de três anos antes. Mas enquanto o Eternals experimenta sem limites, a maior coesão do Hurtmold resulta em um ecleticismo consistente e suave, marcado pelo entrosamento e bom uso da criatividade de seus integrantes, que suscitam até paralelos com a musicalidade do jazz. Mesmo trazendo poucas músicas, é o melhor trabalho do Hurtmold até aqui. Para a divulgação do trabalho, uma mini-turnê com o Eternals passou por São Paulo, Campinas e Belo Horizonte.

Ainda em 2003 foi lançado o primeiro disco solo de Maurício Takara, intitulado M. Takara, disponível também pela Submarine Records. O álbum possui faixas gravadas pelo baterista entre 2000 e 2003. Seu parceiro de Hurtmold, Marcos Gerez, contribui no baixo de duas músicas. Essa é, por sinal, outra características dos membros do Hurtmold, a participação em projetos paralelos: Takara toca também no Instituto, além de colaborar com artistas de outras praias como Otto e o rapper Xis. Guilherme toca também no Againe e, junto com Marcos Gerez, no Van Damien. Mário Cappi participa do Polara.

A banda voltaria alguns meses após o lançamento de "Hurtmold/The Eternals" ao estúdio El Rocha para preparar seu próximo trabalho. Um novo membro foi adicionado à formação do grupo: o percussionista e clarinetista Rogério Martins, que veio para aumentar o arsenal de possibilidades da já rica sonoridade da banda. A expectativa dos fãs foi enorme. Mestro foi lançado em julho de 2004 pela Submarine, com ares de disco definitivo do Hurtmold.

Em 2007, sai o 5° disco dos caras intitulado com o mesmo nome da banda, Hurtmold, que saiu depois de um longo jejum.

A banda é conhecida por fazer um post-rock mais vigoroso que o convencional, utilizando bastante instrumentos de percussão, com influências diversas que vão do jazz, passando por minimalismo, punk rock até chegar a ritmos regionais da música brasileira. Outra característica do Hurtmold é o fato dos seus integrantes trocarem os instrumentos entre si durante as apresentações ao vivo.

Discografia:
ET cetera - 2000
Cozido - 2002
Hurtmold / The Eternals - 2003
Mestro - 2004
Hurtmold - 2007

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

API Calls