Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

Don Kikas (Emílio Costa) nasceu em Angola, na província do Kwanza-Sul, na cidade do sumbe. Ainda nos primeiros meses da sua infância, emigra para o Brasil com os seus pais onde começa a ganhar o gosto pela música e o sonho de um dia vir a ser um artista. Aos 8 anos de idade, já em Angola, compôs a sua primeira canção com a ajuda da mãe. Participava em alguns concursos para cantores infantis, e as vitórias consecutivas serviam de incentivo para continuar a cantar, a compor e a sonhar.

Já em 2005, numa nova fase da sua carreira, Don Kikas junta alguns dos melhores músicos do mercado para gravar o seu mais recente álbum “Viagem”. Um álbum duplo, que viaja entre as sonoridades modernas e dançantes como a kizomba e o zouk (CD1), passando pelas tradições do Semba, da kazukuta e do kilapanga (CD2). Mais uma vez, um encontro com dezenas de músicos e amigos de várias origens para fazer um disco com a alma em Angola. Na sua carreira, Don Kikas tem pisado palcos por todo o mundo, tem feito parcerias musicais com vários artistas de renome nacional e internacional, compõe para si e para muitos outros. Sempre com o nome de Angola na voz e no peito.

E extremamente bem sucedido em termos de vendas e do sexo oposto, está radicado em Portugal .Canta geralmente no estilo kizomba mantendo-se actual com pé sempre assente na tradição. E tem sempre algo mais a adicionar: canta como mais ninguém neste género. Já cantou ao lado de nomes como Sérgio Godinho ou Vitorino e Janita Salomé, Martinho da Vila entre muitos outros, o que demonstra que não é na kizomba que se esgotam os seus horizontes musicais, remetendo muitas vezes para outros géneros como o zouk ou o semba.

O seu último álbum, Viagem, de 2005, é, aliás, uma viagem por várias sonoridades não só angolanas como também de outros países africanos, com um extenso rol de convidados. Mas a ideia aqui é a de festa, de celebração, de dança, ou não fosse o fim-de-ano, sem muita da calma que aparece nesse disco. A animar as hostes até de madrugada está DJ Sabura, que tem feito todas estas galas e vai à kizomba, ao funaná e ao semba.

Rodrigo Nogueira
in http://timeout.sapo.pt/news.asp?id_news=2814

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

API Calls