Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar
Descartar

As your browser speaks English, would you like to change your language to English? Or see other languages.

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

  • Data de nascimento

    10 Novembro 1978 (idade 40)

  • Local de nascimento

    Tupelo, Lee County, Mississippi, Estados Unidos

Thomas Wesley Pentz, mais conhecido pelo norme artístico "Diplo", é um DJ e produtor musical americano que mistura em seus sets e produções influências de miami bass, dirty south, hip-hop, pop e funk carioca.

Diplo conheceu o funk carioca através de uma fita que suas amigas argentinas escutavam sem parar. Sua obsessão foi tão grande que Diplo resolveu comprar uma passagem e ver com seus próprios olhos o que era o tal do funk carioca (que a imprensa estrangeira chama de Baile funk). Depois de procurar e não achar nada nas lojas de discos convencionais, um novo mundo foi descoberto, com mixtapes caseiras em CD-r, bailes em locais nada turísticos e todo clima que circunda o funk carioca.

Além paixão pelo hip hop old school/electro (trocando em miúdos, as bases do funk carioca), Diplo viu no funk carioca uma versão ainda mais punk do tão amado dirty south, o rap produzido no sul dos Estados Unidos (a terra natal dele, não é por acaso que o disco leva o nome "Florida"). Assim como o funk carioca, o dirty south sempre foi relegado a um segundo plano, classificado como "música de pobre". Ao ver com seus próprios olhos a natureza do funk carioca, Diplo se sentiu em casa.

O mais incrível é pensar que quando o DJ Marlboro desembarcou nos EUA pela primeira vez para comprar seus discos, seu porto de entrada foi Miami, de onde ele voltou para o Brasil com uma tonelada de discos de miami bass, o som que Diplo cresceu escutando quando criança na Florida. De alguma maneira ou outra, parecia que Diplo e Marlboro (aqui representando o funk carioca) tinham crescido lado a lado.

O resultado dessa mistura de dirty south, electro, hip hop, funk carioca e ragga recebeu o nome de "Florida", lançado pelo conglomerado Big Dada/Ninja Tune (selo de propriedade da dupla Coldcut, e ponta de lança de alguns dos maiores nomes da música moderna como Roots Manuva, Jaga Jazzist, Kid Koala e outros). O ponto central do disco é a música "Diplo Rhythm". Sandra Melody antecipa o “aproach” de M.I.A. sobre uma base electro ragga, que apenas faz o caminho para Vybz Cartel (um dos grandes nomes do novo som jamaicano) levar a Jamaica para NY, e fechando o grande ciclo da tal invasão que o terceiro mundo está promovendo na música eletrônica. Pantera & Os Danadinhos tomam para si a base, levando a mesma para uma volta no Rio de Janeiro.

M.I.A. entra na equação da seguinte maneira: Diplo, já despontando como revelação, vai discotecar na Fabric (um grande clube em Londres) e toca uma das músicas do seu set, a até então obscura "Galang". Intrigada M.I.A. vai até a cabine do DJ e dali para frente é história. Diplo mostra para M.I.A. o mundo do funk carioca, que o leva a produzir o single "Bucky Done Gun" que sampleava quase que integralmente "Injeção", uma canção da funkeira carioca Deise Tigrona. Juntos criam em 2004 um "preview" de "Arular" (disco de estréia de M.I.A.) chamado , uma mixtape que apresentava ao mundo o talento da dupla. Filas e mais filas no Soulseek tornaram esta mixtape um dos objetos mais desejados dos últimos tempos. Quase que ao mesmo tempo, Diplo lançava "Favela On Blast", sua mixtape de funk carioca (outro objeto disputado a tapa hoje em dia). E, graças ao sucesso destas mixtapes e o hype gigante em torno de M.I.A., "Florida" finalmente recebeu a atenção merecida (chegou até a ser relançado nos EUA).

E tudo isso leva novamente Diplo para o Brasil, no primeiro semestre de 2005, voltando para o Rio para gravar músicas de seu novo disco, para encontrar com seu mestre DJ Marlboro, e apresentação surpresa no bar Milo Garage, em São Paulo. Em novembro apresenta-se na edição carioca do Tim Festival sozinho e fazendo bases para M.I.A.. Neste mesmo ano começa a produzir um documentário sobre o funk carioca.

Em 2006 criou o selo Mad Decent, cujo primeiro lançamento foi um CD promo e um vinil do quarteto curitibano Bonde do Role. Em julho, ao lado do Bonde e do grupo paulistano Cansei de Ser Sexy parte para uma turnê pelos Estados Unidos e Canadá. Antes, em maio, também com o Bonde, faz uma série de apresentações pela Europa.

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

Links externos

API Calls