Reproduzindo via Spotify Reproduzindo via YouTube
Saltar para vídeo do YouTube

Carregando o player...

Scrobble do Spotify?

Conecte a conta do Spotify à conta da Last.fm e faça o scrobble de tudo o que você ouve, seja em qualquer app para Spotify, dispositivo ou plataforma.

Conectar ao Spotify

Descartar

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

  • Data de nascimento

    21 Março 1979 (idade 39)

  • Local de nascimento

    Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Ava Patrya Yndia Yracema Gaitán Rocha, conhecida como Ava Rocha (Rio de Janeiro, 21 de março de 1979), é uma cantora, compositora e cineasta brasileira. Formou em 2008 a banda AVA, com Daniel Castanheira (percussão), Emiliano Sette (violão) e Nana Carneiro (violoncelo). O grupo lançou seu primeiro disco em 2011 e dissolveu em 2014. Em "Diurno", uma viagem musical e poética, o canto de contralto de Ava Rocha, se enlaça a uma pesquisa sonora que cruza percussões e timbres de violão acústico e violoncelo com loops e samples criados em computador, compondo uma narrativa de arranjos. Integrando outros parceiros como o músico eletrônico Edson Secco e Pedro Paulo Rocha fundem sons inspirados na sensação, na espacialidade e no tempo do cinema, tramando efeitos sonoros a caminhos melódicos e harmônicos.

A partir de 2015, Ava segue carreira solo com o álbum "Ava Patrya Yndia Yracema" apontado como o quarto melhor de 2015 pelo crítico Ben Ratliff, do jornal The New York Times. Venceu o Prêmio Multishow nas categorias Artista Revelação e Novo Hit (com a música Você Não Vai Passar). “Queria um disco pop, inventivo, quente, político, sensual, um disco que reunisse uma série de elementos com uma linha inventiva, que a gente pudesse pirar”, disse a cantora em entrevista ao G1.

Atualmente, a cantora trabalha na divulgação do seu mais recente disco "Trança", que na contramão do álbum anterior, onde a cantora trabalhou com um time seleto de compositores e produtores, Trança é um álbum de colaborações. Guiado de maneira explícita pela força das batidas e ambientações percussivas testadas logo na inaugural Maré Erê, o sucessor de Ava Patrya Yndia Yracema, se projeta como uma obra de essência ritualística, por vezes tribal. São vozes em coro, ruídos e variações rítmicas que tornam a experiência do ouvinte sempre incerta, tumultuada. Um som catártico e torto, como se a cada fragmento do disco o ouvinte fosse transportado para um território completamente novo.

Editar esta wiki

Não quer ver anúncios? Assine agora

API Calls