Playing via Spotify Playing via YouTube
Skip to YouTube video

Loading player…

Scrobble from Spotify?

Connect your Spotify account to your Last.fm account and scrobble everything you listen to, from any Spotify app on any device or platform.

Connect to Spotify

Dismiss

A new version of Last.fm is available, to keep everything running smoothly, please reload the site.

Máscara - Lyrics

Isto é a minha essência, muito mais é a minha história
Não te iludas na aparência, porque a aparência é ilusória
Não posso ser a transparência, ela é antagónica à glória
Sou filha da experiência, irmã da derrota e da vitória

Eu não sou forte, queria ser, não tenho sorte, mas queria ter
Falta-me porte, pra não sofrer, mais cortes, pra não doer
Choro sem ninguém ver, sou fraca, não quero ser
E se eu valer muito, diz-me do que isso vai-me valer?

Eu tento e cuido, eu juro, mas o meu peito possui-me
Com 1000 km de muro, à espera daquele descuido
E as feridas que eu curo, eu já tou farta das curar
O meu muro tem um furo e eu não sei como encontrar

Quero um coração duro, pra ele não poder quebrar
Aqui não há lugares seguros, tento enfrentar a dor
Não há nada de puro, preto e branco são as minhas cores
Por mais que me segure, o meu inimigo chama-se amor

Construída devagar,
Passo a passo construída
Tenho marcada nela cada cicatriz da vida
Forte e bonita, quem a pisa cospe em cima,
Ela é discreta, descarada, não dá a alma, mas dá a cara.
Construída por todos os que passaram,
Os que foram, os que ficaram
É a defesa para a lágrima
Ela corre e não pára, não há coroa sem cara
Diz bom dia à minha máscara

Não tento ser o que não sou, eu sou é tudo isto
Eu nunca sei pra onde vou, resisto e não resisto
Se não valer a pena não tou, mas já me feri nisto
Digo não vou, não tou, mas abraço o mesmo lixo

Precisava da palavra certa, à hora certa, sem falhar
Ter a atitude correcta, não ficar e só bazar
Queria ser mais esperta pra escutar sem acreditar
Quando amas não acertas, então beija sem amar

A solidão não é um castigo, é um modo de estar na vida
O meu quarto sou eu comigo, dá-me um inicio sem partida
Contigo não sei… Contigo jamais
Comigo tou bem… Tás um bocado a mais.

Nunca fui, não quero ser, igual aqueles iguais
Sou a razão do meu viver, o que tu pensas é demais
Demência é morrer, sem tentar, por isso tenta
E se o poder está na aparência do poder, só aparenta.

Construída devagar,
Passo a passo construída
Tenho marcada nela cada cicatriz da vida
Forte e bonita, quem a pisa cospe em cima,
Ela é discreta, descarada, não dá a alma, mas dá a cara.
Construída por todos os que passaram,
Os que foram, os que ficaram
É a defesa para a lágrima
Ela corre e não pára, não há coroa sem cara
Diz bom dia à minha máscara

Don't want to see ads? Subscribe now

API Calls