Playing via Spotify Playing via YouTube
Skip to YouTube video

Loading player…

Scrobble from Spotify?

Connect your Spotify account to your Last.fm account and scrobble everything you listen to, from any Spotify app on any device or platform.

Connect to Spotify

Dismiss

A new version of Last.fm is available, to keep everything running smoothly, please reload the site.

Biography

Dona Onete é a mais nova grande revelação da musica paraense, mas todo esse talento demorou quase uma vida para se mostrar. Foi Professora de História durante 25 anos, Secretaria de Cultura e Fundadora de grupos de dança e música regional como o “Canarana”, no pequeno município de Igarapé-Miri no Pará, e seu verdadeiro sonho era viver de musica. Depois de aposentada aos 62 anos de idade, Dona Onete, um dia estava em casa, tranquila, cantando sozinha, enquanto um grupo de Carimbó (Ritmo típico da cultura paraense) estava ensaiando do outro lado da rua e então ouviram-a cantando, mas quando chegaram em sua casa, se decepcionaram por causa de sua idade avançada. Dois dias depois do ocorrido um outro grupo viera perguntar à cantora (ainda anônima) se gostaria de ser uma das vocalistas da equipe.

Participou de importantes grupos folclóricos como o “Raízes do Cafezal”e do grupo pop com raízes regionais “Coletivo Radio Cipó” e no cinema interpretou uma cantadora de carimbó no filme “Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios”, estrelado por Camila Pitanga.

Dona Onete é uma das estrelas da série de espetáculos “Terruá Pará”, promovidos pelo governo do estado, contando com expoentes de todas as vertentes da música local.

Em 2012 Dona Onete grava e lança seu primeiro CD, “FEITIÇO CABOCLO”, produzido pelo músico Marco André, contando com algumas pérolas de seu inventivo e divertido repertório, com muita pimento e malícia, como a música título e mais “Jamburana”, “Moreno Morenado” e “Proposta Indecente”.

Com esse CD, Dona Onete ganhou o mundo com a disseminação do conteúdo pela internet.

Dona de uma voz rouca e grande sensualidade, essa senhora de 79 anos, é a musa da nova geração da música paraense. Ela inventou o "carimbó chamegado”, que segundo ela tem o balanço do carimbó, mas “com um toque de pimenta”. “A música do Pará é muito cheia de mistura, então comecei a fazer essas músicas, que falavam de amor, num ritmo mais lento e muito sensual, e assim nasceu esse carimbo chamegado”, diz Onete, que tem canções gravadas por Gaby Amarantos, Aíla, entre outros artistas, e que agora está levando ela mesma o ritmo para todo o Brasil.

Atualmente, ela segue compondo (tem mais de 300 composições) de maioria boleros e tantas outras no gênero “carimbo chamegado”.

Logo produtoras estrangeiras começaram a se interessar pela cantora, em países como Portugal, França e Inglaterra.

No ano de 2016, Dona Onete lança seu segundo álbum com músicas inéditas, BANZEIRO, com previsão de lançamento de seu primeiro DVD ao vivo ao fim deste ano. Este novo trabalho autoral traz um repertório inspirado no passado histórico-cultural da artista, relembrando as canções do rádio de outrora, e contando um pouco da história dos negros escravos que foram trabalhar nas lavouras de cana do Pará e trouxeram sua rica cultura de dança e ritmo que, mais tarde, uniram-se aos caboclos que lá já estavam, criando um ritmo denominado Bangüê. As rodas e festas eram animadas com músicos tocando pau e corda (violas e percussões artesanais) e danças africanas típicas.

Em 2016, Dona Onete fez sua primeira turnê nos Estados Unidos, totalizando cinco shows e o ultimo deles em Nova Iorque com presença ilustre de David Byrne e Caetano Veloso.

Sua música “Boto Namorador” foi destaque na novela das 9 da Rede Globo, “A Força do Querer”. Além dela ,“Jamburana” e “Feitiço Caboclo” já integraram novelas de sucesso também da Tv Globo, além de várias participações suas em programas da emissora e outras tv's do Brasil e exterior, como especiais para rádios europeias (incluindo dois shows na BBC de Londres).

Em julho de 2017 Dona Onete foi capa da maior revista de world music no mundo, a Songlines, e fez sua quarta turnê na Europa passando por grandes festivais como Rudolstadt Festival na Alemanha, Zwarte Cross na Holanda, WorldWide Festival em Sète - França (do renomado DJ e produtor Gilles Peterson).

Nos meses de junho/julho foi a única artista brasileira a integrar o World Music Charts Europe Top 20 com a faixa “Banzeiro”.

Foi indicada no Prêmio da Música Brasileira 2017 como Melhor Cantora Regional. Seu clipe “No Meio do Pitiú” já atingiu a marca de mais de 6 milhões de views no Youtube.

Edit this wiki

Don't want to see ads? Subscribe now

External Links

API Calls