Playing via Spotify Playing via YouTube
Skip to YouTube video

Loading player…

Scrobble from Spotify?

Connect your Spotify account to your Last.fm account and scrobble everything you listen to, from any Spotify app on any device or platform.

Connect to Spotify

Dismiss

A new version of Last.fm is available, to keep everything running smoothly, please reload the site.

Biography

Sambista e ator nascido no Rio de Janeiro, Carlão Elegante foi um artista completo: cantava, compunha, interpretava e tocava um violão maneiro. Tanto talento lhe concedeu o cobiçadíssimo título de Cidadão Samba do carnaval carioca nos anos 1970.

A história de Carlão como músico profissional começa no final da década de 1960, quando integrava o Conjunto Lá Vai Samba. O ano era 1969. Além da voz de Carlão, lá estavam também a voz de Délcio Carvalho (que mais tarde fora parceiro de Dona Ivone Lara e de Noca da Portela em uma penca de sucessos), Everaldo Cruz (violão), Jones (cavaquinho), Baianinho (cuíca) e Samuel (surdo). Na mesma época, o sambista ingressa na ala de compositores da Unidos de Lucas.

A década seguinte foi muito generosa com Carlão Elegante. No mesmo ano – 1976 – emplaca uma obra-prima na Unidos de Lucas (Mar baiano em noite de gala) e é eleito Cidadão Samba do carnaval da cidade do Rio de Janeiro. Logo na sequência, interpreta um dos personagens centrais do filme A força de Xangô, de Iberê Cavalcanti, foi coadjuvante na telenovela Pai Herói, na Rede Globo – interpretou Teodoro, misto de cantor e segurança da gafieira da Ana Preta (Gloria Menezes) – e finalmente grava seu disco (único solo) “Um cidadão sambista” (1979), pela antiga CBS, atual Sony Music.

Além de ter soltado a voz na avenida pelo Galo da Leopoldina, Carlão Elegante também passou pela Tupy de Brás de Pina, onde defendeu os sambas “Negrinho do Pastoreio”, de Luiz Reza Forte, Ariel Matias e Walter Gaguinho (1981), e “O Sobrenatural de Almeida - Nelson Rodrigues, Dramaturgo do Mundo Cão” (1982).

A partir daí, as aparições de Carlão – tanto na música quanto na dramaturgia – passam a ser escassas. Torna-se parceiro de composições que aparecem nos discos de Nei Lopes. Alguns frutos desta parceria são os sambas “Festa da dentadura” e “Solução urgente”. Esta última pode ser conferida no disco Negro Mesmo (1983), em que há um dueto magnífico entre Nei e Carlão. O mestre elegante do samba faleceu aos 58 anos, infelizmente, em extrema pobreza.

Edit this wiki

Don't want to see ads? Subscribe now

API Calls