Saltar para
vídeo do YouTube

Carregando o player...

Descartar

As your browser speaks English, would you like to change your language to English? Or see other languages.

Biografia

Moby (nascido Richard Melville Hall em 11 de setembro de 1965 no Harlem, New York) é um cantor e artista de música eletrônica estadunidense. É conhecido por singles como Go, Porcelain, South Side (com Gwen Stefani), We Are All Made of Stars e Lift Me Up. Já lançou outros trabalhos sob nome Voodoo Child, Barracuda, UHF, The Brotherhood, DJ Cake, Lopez e Brainstorm/Mindstorm.

Moby toca teclado, guitarra e baixo. Seu nome deriva da obra Moby Dick de Herman Melville. Ele cita que o autor é um de seus ancestrais na família Melville, então escolheu o nome como um tributo. Ele é vegan, cristão. Mora atualmente em Little Italy, Nova Iorque, onde já vive há mais de uma década, perto do apartamento de David Bowie.

Moby é uma das mais controversas figuras dentro da cena techno, ora sendo aclamado por ter trazido uma "cara" ao mundo da música eletrônica onde o anonimato dos dj's e músicos é bastante comum, se tornando a primeira "celebridade" deste estilo, ora sendo criticado por ter diluído o techno misturando-o com as mais diversificadas influências. Seja como for, Moby foi uma das mais importantes figuras dentro da música pop no início dos anos 90, sendo um dos precursores e ajudando a popularizar o techno e as raves.

Moby produz um tipo de música que foge das barreiras de um único estilo, e aproveita das influências da dance-music, das guitarras distorcidas, do punk-rock, da música ambiente e das trilhas sonoras de filmes para conceber um som totalmente único. Não contente apenas em ser um "pequeno gênio" da música eletrônica, Moby ainda arranja tempo para discutir em suas músicas questões políticas como o ambientalismo, o direito dos animais e o vegetarianismo, dos quais ele é um forte adepto.

Seu primeiro hit, a música "Go" ficou entre os 10 mais vendidos na Inglaterra em 1994 e o estabeleceu como um dos principais produtores de techno no mundo todo, ajudando-o a lançar seu primeiro álbum sob contrato de uma grande gravadora, a Elektra Records, chamado "Everything Is Wrong". Nada porém que o impedisse de abrir mão desde mesmo techno para lançar-se como um guitar-hero em seu álbum de 1996, chamado "Animal Rights". O retorno à eletrônica deu-se em 1997 com o álbum "I Like To Score". Em 1999, Moby lançou "Play" que, superando todas as expectativas, alcançou o primeiro lugar das paradas na Inglaterra e conseguiu um disco de platina por suas vendas.

Em "Play", Moby condensa todo a sua carreira em 17 grandes faixas. A eletrônica se casa perfeitamente com pianos de blues, com vocais que às vezes beiram o gospel, com brincadeiras entre os big-beats de bandas como o Chemical Brothers, e os vocais melancólicos do próprio Moby, que sabe tirar belos sons de sua pouca experiência vocal. "Play" foi eleito melhor álbum do ano por revistas como a Rolling Stone e Spin, e é acima de tudo um álbum feito sob medida para a geração presente, envolvida numa era onde a busca pela informação é acirrada e onde todas as barreiras parecem que uma hora ou outra, vão acabar ruindo. Por "Play", Moby recebeu disco de platina em 26 países, só no Reino Unido abocanhou cinco, e foi indicado ao Grammy por três vezes seguidas, garantindo o lugar dele entre os gigantes da música eletrônica.

Em 2003 ele lançou o álbum "18". Mais um sucesso. Por isso foi convidado para participar de shows de seus ídolos de adolescência como David Bowie, Michael Stipe, Mission of Burma e New Order. Seus pronunciamentos na internet e posições sobre todo e qualquer assunto acendem debates no mundo inteiro.

• Curiosidades

- Moby se apresentou pela primeira vez no Brasil em 1993.

- Um dos seus primeiros singles, "Go", despontava nas paradas, o colocando para remixar de Michael Jackson a Pet Shop Boys.

- Em 92, quando lançava seu primeiro álbum, "Moby", ficou marcado por quebrar seus teclados no final de uma apresentação no Mixmag Awards.

- Ele entrou para o Guinnes Book dos discos por produzir a faixa mais acelerada já ouvida (Thousand tem mais de 1000 batidas por minuto)

Álbuns oficiais

* Moby (Instinct, 1992)
* The Story So Far (Equator, 1993)
* Ambient (Instinct, 1993)
* Everything is Wrong (Mute, 1995)
* Animal Rights (Mute, 1996)
* Play (Mute, 1999)
* Play: The B Sides (Mute, 2000)
* 18 (Mute, 2002)
* 18 B Sides + DVD (Mute, 2003)
* Hotel (Mute, 2005)
* Go - The Very Best of Moby (V2 Records, Inc., 2006)
* Last Night (Mute, 2008)
* Wait for Me (Little Idiot, 2009)

Edições limitadas

* Underwater (gratuito com a edição limitada de Everything is Wrong)
* Little Idiot (gratuito com a edição limitada de Animal Rights)
* hotel.ambient (gratuito com a edição limitada de Hotel)
* 35 Minutes (do iTunes)

Lançado utilizando pseudônimos

* Instinct Dance (Instinct, 1991)
-> Moby/Barracuda/Brainstorm/Voodoo Child
* The End of Everything (Mute, 1996)
-> Voodoo Child
* Sugar Baby (Trophy, 1996)
-> DJ Cake
* Baby Monkey (Mute, 2004)
-> Voodoo Child

Compilações

* Early Underground (Instinct, 1993)
* Rare: The Collected B-Sides 1989-1993 (Instinct, 1996)
* Everything Is Wrong - DJ Mix Album (Mute, 1996)
* I Like to Score (Mute, 1997)
* Songs 1993-1998 (Elektra, 2000)

Videografia

* Moby Play: The DVD (2001)
* Moby 18: DVD + B Sides (2003)
* Moby Live: The Hotel Tour 2005 (2006)
* Moby Presents: Alien Sex Party

Biografia

* Moby: Replay (2001, Olmstead Press Paperback ISBN 1587540118)

Site oficial: www.moby.com

Fontes: http://pt.wikipedia.org/wiki/moby, http://www.jovempanfm.com.br/especiais/moby_brasil2005_bio.php

Editar esta wiki

API Calls