Descartar

As your browser speaks English, would you like to change your language to English? Or see other languages.

Existe uma nova versão disponível da Last.fm, sendo assim, para manter tudo funcionando perfeitamente, recarregue o site.

Biografia

Joan Elizabeth Osborne (Anchorage, Kentucky, 8 de julho de 1962) é uma cantora estadunidense mais conhecida pelo nome artístico de Joan Osborne. Sua fama consagrou-se não só pelo seu trabalho com os membros do The Grateful Dead, mas principalmente devido ao enorme sucesso da canção "One of Us" durante a década de 90.

Biografia

Originária de Louisville, subúrbio de Anchorage, Kentucky, Joan Osborne mudou-se para Nova Iorque no final de 1989, onde abriu a sua própria gravadora, Womanly Hips Music, com o intuito de lançar o seu primeiro album independente antes de ingressar num selo maior. Apresentando quatro regravações e o restante do repertório inédito, o seu primeiro album Soul Show: Live at Delta 88 foi gravado ao vivo, no dia 22 de maio de 1991, porque Joan buscava uma sonoridade de bar, muito diferente da que normalmente um album alcança durante a gravação em estúdio fechado.
Soul Show chamou a atenção da gravadora Mercury, que decidiu contratá-la em 1992 após a sua apresentação de What You Gonna Do num show beneficente no Brooklyn, que contou com a presença de David Byrne, Iggy Pop e Cyndi Lauper. A gravadora tratou logo de apostar suas fichas na nova artista e lançou, no ano seguinte, um EP entitulado Blue Million Miles, que trazia duas músicas inéditas e mais uma regravação de His Eyes Are a Blue Milion Miles, do Captain Beefheart. Foi feita uma breve divulgação nas rádios para as quais a gravadora Womanly Hips Music liberou uma K7 demo com algumas músicas de Chick, que seria o título de seu segundo album, incluindo as três faixas de Blue Million Miles, a primeira versão em estúdio de Crazy Baby (ao som de violinos), What You Gonna Do e a inédita The World Is a Genius.
Curiosamente a gravação de "Chick" foi suspensa e a Mercury contratou, em 1994, o trio de compositores Rob Hyman, Eric Bazilian e Rick Chertoff, encarregados de produzir um segundo album para Joan. Foi assim que saiu Relish no final de março de 1995 e que, aos poucos, foi alcançando grande repercussão mundial após a divulgação do primeiro single "One of Us", que chegou a ficar em 4º lugar no Top da Billboard Hot 100 no final daquele ano. A música One of Us foi propositalmente muito mais orientada no estilo pop que o restante do album, mais voltado para o country, blues e folk music. Joan declarou mais tarde que precisou trabalhar bastante forçadamente a voz para que ela ganhasse uma entonação mais "suave" em One of Us.

Sucesso

Relish foi indicado a diversas categorias no 38º Grammy Awards de 1996, incluindo album do ano, gravação do ano ("One of Us"), canção do ano ("One of Us") e melhor performance rock vocal feminino ("St. Teresa"). Com mais de dois milhões de cópias vendidas só nos Estados Unidos, a súbita vendagem fez com que a mídia aclamasse Joan como uma das maiores revelações da música Pop rock nos anos 90 e sendo comparada, inclusive, a Janis Joplin. Participou de diversos eventos ao lado de artistas consagrados como Bob Dylan, Melissa Etheridge e Luciano Pavarotti, com o qual dividiu os vocais num dueto de St. Teresa durante o concerto beneficente For War Child ("Para as Crianças da Guerra"). A divulgação do terceiro e último single, Right Hand Man, acabou sendo ofuscada com a liberação de Early Recordings, um relançamento do album Soul Show acrescido das músicas do EP Blue Million Miles sob o selo da gravadora Mercury.
Sua audiência cresceu significantemente com a sua performance de Ladder no evento Lillith Fair, em julho de 1997, que a colocou na mesma categoria das cantoras femininas de grande intensidade vocal como Tori Amos e Sarah McLachlan. Com a indicação da música Spider Web para o 39º Grammy Awards e a conquista do prêmio, Joan deu continuidade à turnê Relish por diversos países da Europa até agosto de 1998, quando participou de uma nova edição do Woodstock e apresentou, ao lado de Pete Townshend, Lou Reed e Ziggy Marley, o repertório de seu próximo album Curds and Whey.

Desentendimentos

Em 1999 gravou a música-tema de Kevin Costner para o filme For Love of The Game (Por Amor), entitulada Baby Love, de sua própria autoria. Um single foi lançado e Baby Love alcançou modesta repercussão nas rádios estadunidenses, principalmente após o lançamento oficial do vídeo. No entanto a Mercury passou a negligenciá-la durante a gravação do terceiro album Curds and Whey e, no mesmo ano, recusou-se a lançá-lo. Indignada, Joan rompeu com a Mercury e partiu para a gravadora Interscope, onde gravou, em poucos meses, um outro repertório para o seu terceiro album, numa parceria com o produtor Mitchell Froom (visto que as músicas gravadas anteriormente já estavam registradas sob o selo da Mercury e não podiam ser mais reutilizadas), que recebeu o nome de Righteous Love, canção-título incluída no seriado Sex and the City da HBO.
No entanto Righteous Love, lançado em setembro de 2000, não obteve êxito nas vendagens após a sua estréia na posição #90 no ranking da Billboard, e o seu primeiro single, Safety In Numbers, ficou muito aquém da posição esperada nas rádios estadunidenses. O fracasso de Righteous Love foi responsabilizado principalmente pela falta de investimento da gravadora assim como pela longa espera da cantora em lançar um album subseqüente ao seu grande sucesso Relish. Mesmo assim a regravação de Love is Alive foi escalada para ser tema de Liv Tyler no filme One Night at McCool's (Que Mulher é Essa?), e o video oficial obteve uma pequena repercussão na MTV americana em maio de 2001.
Após o atentado de 11 de setembro de 2001 Joan dedicou-se à produção de um quarto album somente de regravações, cujo repertório o incidente lhe inspirara. How Sweet It Is, lançado em 2002, é uma coleção de clássicos do rock e da soul estadunidense, que vai desde Axis: Bold as Live do Jimmy Hendrix à Love's in Need of Love Today do Stevie Wonder. No mesmo ano participou do filme-documentário Standing in the Shadows of Motown e excursionou com a legendária banda The Funk Brothers da Motown. Ela e sua banda acompanharam os Dixie Chicks para uma turnê nacional no verão de 2003, abrangendo as principais cidades da costa-oeste dos Estados Unidos. Durante esse tempo juntou-se aos roqueiros legendários de São Francisco The Dead como vocalista e excursionou com a turnê que promovia o lançamento de How Sweet It Is.
Em 2004 gravou a música inédita Stand Back para a trilha sonora do filme "Raising Helen (Um Presente Para Helen), com Kate Hudson e grande elenco. Depois anunciou a sua partida do grupo The Dead alegando que estava pronta para engravidar, fato que não aconteceu. No ano seguinte lançou, às vésperas do Natal, o album Christmas Means Love, apresentando músicas natalinas de sua autoria entre outras regravações. Christmas Means Love foi vendido com exclusividade pela loja Barnes and Nobles dos Estados Unidos, como parte de uma promoção de final de ano. Em seguida voltou aos palcos para excursionar com o grupo Phil Lesh and Friends e preparar um novo album country, trazendo músicas inéditas entre antigos sucessos. Pretty Little Stranger contou com a produção de Steve Buckingham e foi lançado pela gravadora Vanguard no final de 2006. Entre as músicas de suas autoria está "After Jane", que conta sobre o seu relacionamento com outra mulher (a própria Joan assumiu em 2003 a sua bissexualidade).

O Retorno

Em fevereiro de 2007 Joan apresentou-se no Grand Ole Opry e entrou novamente em estúdio para gravar Breakfast In Bed, um novo album mesclado de inéditas e regravações, dessa vez, da música soul. Assinou contrato com a Time-Life (que pertence à Time Warner) e lançou Breakfast In Bed em maio de 2007, com 16 músicas incluindo as duas músicas que havia gravado para a trilha sonora do documentário Standing in the Shadows of Motown em 2002: Heat Wave e What Becomes of The Brokenhearted. O album obteve um sucesso de vendas na categoria e alcançou a posição #160 de vendas no ranking da Billboard. Foi lançado comercialmente na Europa meses depois, onde saiu com a faixa bônus Everybody Needs a Friend. O sucesso impulsionou a Time-Life a relançar o album Christmas Means Love à nível mundial no final do ano de 2007.
Atualmente Joan está em estúdio novamente finalizando o seu primeiro album 100% de inéditas em 08 anos, entitulado Little One Wild, com lançamento previsto para 9 de setembro de 2008. Little One Wild retoma o estilo Pop rock de antigamente e a parceria da cantora com os três grandes nomes por trás do sucesso de Relish em 1995: Rob Hyman, Eric Bazilian e Rick Chertoff.

Discografia

Soul Show: Live at Delta 88 (1991)
Relish (1995)
Early Recordings (1996)
Righteous Love (2000)
How Sweet It Is (2002)
One of Us (2005)
Christmas Means Love (2005)
Pretty Little Stranger (2006)
Breakfast in Bed (2007)
Little One Wild (2008)

Editar esta wiki

API Calls