• O público que faz?

    6 Jul 2007, 20:56 by psychojoanes

    Quinta 5 Jul – Os Mutantes

    Os Mutantes fizeram um show aqui em Belo Horizonte há pouco mais de três meses e isto não foi motivo para que este show ficasse mais vazio. Obviamente que grande parte dos presentes (incluindo este que vos escreve) só apareceu ali pelo fato do evento estar sendo bancado pelo maior banco estatal do país, e para seus clientes o ingresso foi 0800.

    O evento estava marcado para começar 21 horas. E por incrível que parecça, começou em ponto, com o público ainda chegando no recinto.

    Bem, gosto de Mutantes? Amo, mas essa coisa de banda que volta 30 anos, depois de acabar com mega-briga e tudo soa esquisito né? Ainda mais que para cada músico original, havia um genérico contemporâneo no palco. Não tinha como errar. O nosso Ozzy, Arnaldão Baptista, tocando teclado e cantando dependurando em frente de seu tele-prompter é até louvável, pra quem sabe um pingo sobre a trajetória dele. Mas um músico tarimbado como o irmão dele, Sérgio Dias…
  • O retorno da melhor banda brasileira já formada.

    29 May 2007, 02:35 by Tiago_Nobre

    [event=188869]Sat 26 May – Os Mutantes[/event]
    http://bp2.blogger.com/_DKWbWZX-GsU/RlpGwBYCWmI/AAAAAAAAABk/bk-6n9a6sPY/s400/515554228_72a560df39.jpg

    As luzes se apagam e os tambores do início de Dom Quixote começam a tocar, com as cortinas se abrindo e revelando a banda de apoio. Eis que entram Sérgio Dias, Arnaldo Baptista, Dinho Leme e Zélia Duncan. Cada um pega seus respectivos instrumentos e começam a meter porrada musical da melhor qualidade nos ouvidos das sei lá quantas mil pessoas presentes no Teatro do SESI. Com um repertório contendo a grande maioria dos grandes clássicos da banda, os velhinhos mostraram porque foram, e ainda são, a melhor banda tupiniquim de todos os tempos. Prova disso é que, nem completada a terceira música, e todos no Teatro já estavam de pé para assistir ao show, com direito a comentário de Sérgio Dias "pra que esperar o fim do show né pessoal?!".

    Com o ouvido aguçado, ele comandava de dentro do palco a produção do show, para hora aumentar o som do teclado, hora pra aumentar a voz e por aí vai. …